Pular para o conteúdo principal

SOBRE O "GLAMOUR"

Nós últimos dias muito se disse sobre o fato de ter uma professora da PUC - RIO ironizado, bem como discriminado, um passageiro de seu voo pelo fato de estar de bermuda e camiseta, vamos à imagem:


(Imagem de ótima Reportagem da Folha de São Paulo)

Pois bem, como se não bastasse a infeliz atitude da referida professora, o Reitor, o qual tem o tratamento de Magnífico, da UniRio, universidade FEDERAL, afirmou que "O glamour foi para o espaço".

Não peso que o glamour tenha acabado, se é que este algum dia existiu, penso sim que uma parcela da nossa sociedade parou no tempo e deixou de acompanhar o "espetáculo do crescimento" vivido por nosso país nos últimos anos, no qual houve um aumento astronômico da classe média.

Tal aumento fez muito bem ao povo brasileiro, o qual pode hoje atingir excelente nível de consumo, bem como utilizar-se de meios de transporte ao qual anteriormente não tinha acesso, como o avião.

O problema é que o aumento do nível de renda, não veio acompanhado do crescimento da educação (estou falando daquela que vem de casa, de berço), note-se educação e não instrução.

Com efeito, falta uma mudança de mentalidade.

Algumas pessoas querem ser reconhecidas como melhores, mas continuam com uma mentalidade pequena. Na Europa, não há essa preocupação exagerada com a vida alheia, ninguém lá quer saber com que roupa você vai viajar, as pessoas são simplesmente educadas e cuidam das suas vidas respeitando a dos outros, coisas professores deveriam ensinar aos seus alunos.

No nosso caso, resta evidente o preconceito contra a pessoa que aparentada ser de uma classe social mais baixa, mas veja só, o fotografado é Advogado, e procurador-adjunto de Nova Serrana, em Minas Gerais, sendo que no momento em que foi fotografado esta voltando de um cruzeiro internacional.

Este exemplo é excelente para verificarmos como, por mais que resistamos, existem preconceitos, pois há julgamentos sem levar em conta quem é a pessoa, o quê ela faz, qual o seu caráter, mas simplesmente como ela se veste, caso contrário não haveria esse tipo de postagem ou mesmo as reações a ela, afinal de contas quer mais glamour em voltar de um cruzeiro internacional?

E convenhamos, cadê o glamour de ser professor? Falo isso com experiência, pois já fui professor de Universidade Federal e Particular e, infelizmente, constatei que são em sua esmagadora maioria muito mal remunerados e pouco reconhecidos. É difícil hoje no Brasil algum professor, que viva exclusivamente do ensino, viajar com “Glamour”, o quê, se existir, somente esta presente na primeira classe ou em Cruzeiros internacionais!

Com certeza o fotografado conhece os seus direitos, mas é bom que todos saibam que sofrer ofensa à honra em rede social, no caso o Facebook, gera direito a indenização por danos morais, como tem decidido os tribunais.

Abraços

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Comunhão Universal de Bens: há herança?

Olá, atendendo a um pedido, vamos falar hoje da sucessão do cônjuge sobrevivente casado sob o regime da comunhão universal.

De início é bom lembrarmos que o regime da comunhão universal (pouco usado hoje, mas muito comum entre os idosos, porquanto na época era o regime legal) é aquele em que todos os bens do casal se comunicam, independentemente da origem, se adquiridos antes ou depois do casamento. Na boa, é o regime de bens mais romântico, pois trata os cônjuges como se fossem um.


Romantismos de lado, vamos para a parte prática!

Imaginemos que o marido morreu deixando um patrimônio de R$500.000,00 (eu sei, todos os meus exemplos são com quinhentos mil reais). Ficaram vivos a esposa e quatro filhos, sendo três filhos comuns (ou seja do casal), e um com outra mulher.

Para descobrimos com quem fica a herança devemos consultar a ordem de vocação hereditária, que fica no art. 1.829 do Código Civil, que assim dispõe:
"Art. 1.829. A sucessão legítima defere-se na ordem seguinte: I - ao…

União Estável: há direito a herança?

Olá, depois de muitas solicitações resolvi escrever sobre o direito sucessório dos companheiros.  

    Primeiro é importante definirmos quem é o companheiro. O companheiro, ou a companheira, é o que vive em união estável, ou seja, são aqueles que, mesmo sem nenhum impedimento para o casamento, resolveram não se casar, só viver juntos.

Veja essa explicação em vídeo do nosso canal no Youtube:

Aproveite que você já está aqui e por favor clique em gostei e inscreva-se no canal do youtube. Agora seguem as explicações.

       Pois é, a maior parte das pessoas que vivem assim diz que é pela praticidade de ficar juntos e separar-se, mas essa praticidade muda muito quando um deles morre.

    Na realidade nosso atual Código Civil foi muito infeliz ao tratar da herança dos companheiros, primeiro que ele sequer tratou desse tema no lugar correto, que seria o da ordem de vocação hereditária, mas sim nas disposições gerais, pode isso?



     Segundo porque resolveu regular toda essa sucessão em um único…

PRAZO PARA ANULAR A PARTILHA

Muitas pessoas perguntam qual o prazo para anular a partilha feita no inventário.
A resposta é simples, está no art. 2.027, parágrafo único, do Código Civil, vejamos:
CAPÍTULO VII
Da Anulação da Partilha
Art. 2.027. A partilha, uma vez feita e julgada, só é anulável pelos vícios e defeitos que invalidam, em geral, os negócios jurídicos. Parágrafo único. Extingue-se em um ano o direito de anular a partilha.
Logo, o direito de ver a partilha anulada decai em um ano, ou seja, a pessoa perde por completo tal direito no prazo de um ano após homologada a partilha.


E quais são os motivos que podem levar à anulação da partilha? Esta resposta também está no Código Civil, no art. 178, o qual prevê o seguinte:
Art. 178. É de quatro anos o prazo de decadência para pleitear-se a anulação do negócio jurídico, contado: I - no caso de coação, do dia em que ela cessar; II - no de erro, dolo, fraude contra credores, estado de perigo ou lesão, do dia em que se realizou o negócio jurídico; III - no de atos de inca…