Pular para o conteúdo principal

Quem tem direito ao FUSMA, FUSEX?



Muitas pessoas querem saber quem tem direito ao FUSMA OU FUSEX, que são os fundos de saúde da Marinha e do exército.


A resposta é relativamente simples, contudo por vezes as instituições complicam a interpretação da lei e exigem que os interessados ingressem na justiça par ter seus direitos garantidos.

Basicamente possuem direito às assistências os militares e seus dependentes.

Nesse sentido dispõe o Estatuto dos Militares o seguinte:



Art. 50. São direitos dos militares: (…)IV - nas condições ou nas limitações impostas na legislação e regulamentação específicas: a) a estabilidade, quando praça com 10 (dez) ou mais anos de tempo de efetivo serviço; b) o uso das designações hierárquicas; c) a ocupação de cargo correspondente ao posto ou à graduação; d) a percepção de remuneração; e) a assistência médico-hospitalar para si e seus dependentes, assim entendida como o conjunto de atividades relacionadas com a prevenção, conservação ou recuperação da saúde, abrangendo serviços profissionais médicos, farmacêuticos e odontológicos, bem como o fornecimento, a aplicação de meios e os cuidados e demais atos médicos e paramédicos necessários; (…)

A dúvida surge quando tentamos estabelecer quem são os dependentes.

Sendo o mesmo estatuto os dependentes do militar são:

 § 2° São considerados dependentes do militar:
        I - a esposa;
        II - o filho menor de 21 (vinte e um) anos ou inválido ou interdito;
        III - a filha solteira, desde que não receba remuneração;
        IV - o filho estudante, menor de 24 (vinte e quatro) anos, desde que não receba remuneração;
        V - a mãe viúva, desde que não receba remuneração;
        VI - o enteado, o filho adotivo e o tutelado, nas mesmas condições dos itens II, III e IV;
        VII - a viúva do militar, enquanto permanecer neste estado, e os demais dependentes mencionados nos itens II, III, IV, V e VI deste parágrafo, desde que vivam sob a responsabilidade da viúva;
        VIII - a ex-esposa com direito à pensão alimentícia estabelecida por sentença transitada em julgado, enquanto não contrair novo matrimônio.
        § 3º São, ainda, considerados dependentes do militar, desde que vivam sob sua dependência econômica, sob o mesmo teto, e quando expressamente declarados na organização militar competente:
        a) a filha, a enteada e a tutelada, nas condições de viúvas, separadas judicialmente ou divorciadas, desde que não recebam remuneração;
        b) a mãe solteira, a madrasta viúva, a sogra viúva ou solteira, bem como separadas judicialmente ou divorciadas, desde que, em qualquer dessas situações, não recebam remuneração;
        c) os avós e os pais, quando inválidos ou interditos, e respectivos cônjuges, estes desde que não recebam remuneração;
        d) o pai maior de 60 (sessenta) anos e seu respectivo cônjuge, desde que ambos não recebam remuneração;
        e) o irmão, o cunhado e o sobrinho, quando menores ou inválidos ou interditos, sem outro arrimo;
        f) a irmã, a cunhada e a sobrinha, solteiras, viúvas, separadas judicialmente ou divorciadas, desde que não recebam remuneração;
        g) o neto, órfão, menor inválido ou interdito;
        h) a pessoa que viva, no mínimo há 5 (cinco) anos, sob a sua exclusiva dependência econômica, comprovada mediante justificação judicial;
        i) a companheira, desde que viva em sua companhia há mais de 5 (cinco) anos, comprovada por justificação judicial; e
        j) o menor que esteja sob sua guarda, sustento e responsabilidade, mediante autorização judicial.


Assim, são esses os dependentes do militar com direito ao Fusma e Fusex, sendo que caso a instituição militar se recuse a inscrever algum dependente este terá direito de ingressar na justiça e pedir sua inclusão, bastando para isso comprovar a condição de dependente, como vemos no seguinte julgado:

ADMINISTRATIVO -MILITAR -FILHAS SOLTEIRAS -DEPENDENTES DO FALECIDO MILITAR -DIREITO AO FUSMA -ART. 50, § 2º, II, DA LEI 6.880/80 -ART.  DO DECRETO 92.512/86.I - E certo que o Estatuto dos Militares, Lei 6.880/80, inclui em seu art. 50, inc. IV, o direito do militar à assistência médico-hospitalar, para si e seus dependentes. Por sua vez, o art. 3º do Decreto 92.512/86 também garante aos dependentes do militar o direito à assistência médico-hospitalar.II - Os documentos dos autos demonstram que as apelantes são dependentes do falecido militar, a teor do art.50, § 2º, II, da Lei 6.880/80. Assim sendo, entendo que têm direito à assistência médico-hospitalar.III - Portanto, as apelantes têm direito à inscrição no Fundo de Saúde da Marinha -FUSMA, com todos os direitos e deveres daí decorrentes.IV -Apelação provida.(TRF2 - APELAÇÃO CIVEL: AC 200851010118387 RJ 2008.51.01.011838-7, Relator(a): Juiz Federal Convocado MAURO SOUZA MARQUES DA COSTA BRAGA, Julgamento: 25/11/2009, Órgão Julgador: QUINTA TURMA ESPECIALIZADA, Publicação: DJU - Data::15/12/2009 - Página::85)


Gostou? então ajude o blog fazendo uma doação, é fácil, só clicar no botão do PagSeguro - Uol aí em cima, é rápido e muito seguro.

Abraços!

Continuem mandando suas perguntas e dúvidas.

Comentem, compartilhem e cliquem aí no g+, o botão vermelho aí em baixo, isso ajuda a divulgar o blog e possibilita que outras pessoas nos encontrem no google, ou seja, você ajuda a que outras pessoas também possam ser ajudadas!

Siga-nos no Twitter: @dtoemcapsulas 

Tem o Instagram também, segue lá:  
x



Veja também:



Comentários

  1. boa tarde, sou filha de militar já falecido. e tinha desconto em meu contra cheque do FUSMA, de repente pararam de descontar. Ainda tenho direito?eles não deram a menor explicação, e meu falecido pai sempre descontou, e todos nós eramos inscritos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você deve se informar na Marinha o que aconteceu. Se disserem que cortaram o seu FUSMA você poderá entrar com ação judicial.

      Excluir
  2. Meu esposo é militar do exército reformado, temos 1 filho e 1 filha. A filha tinha fusex com validade indeterminada e o filho com validade até 21 anos . Em 2013 mandaram novos cartões com o da filha também válido até ela completar 21.Porque esta mudança ? Me falaram que em 2010 mudou alguma coisa na lei dos planos militares . Verdade? Oque seria ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, está correto, em principio a validade é até que os dependentes completem 21 anos. Não há mais benefício eterno às filhas mulheres. Mas no seu caso como estava sob a regra antiga é bom procurar um advogado.

      Excluir
  3. Meu pai é militar reformado, eu tenho fusex até 21 anos, se eu casar eu perco o benefício?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode perder sim, pois quando você se casa deixa de ser dependente de seu pai.
      Abraços.
      compartilhe no facebook!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Comunhão Universal de Bens: há herança?

Olá, atendendo a um pedido, vamos falar hoje da sucessão do cônjuge sobrevivente casado sob o regime da comunhão universal.

De início é bom lembrarmos que o regime da comunhão universal (pouco usado hoje, mas muito comum entre os idosos, porquanto na época era o regime legal) é aquele em que todos os bens do casal se comunicam, independentemente da origem, se adquiridos antes ou depois do casamento. Na boa, é o regime de bens mais romântico, pois trata os cônjuges como se fossem um.


Romantismos de lado, vamos para a parte prática!

Imaginemos que o marido morreu deixando um patrimônio de R$500.000,00 (eu sei, todos os meus exemplos são com quinhentos mil reais). Ficaram vivos a esposa e quatro filhos, sendo três filhos comuns (ou seja do casal), e um com outra mulher.

Para descobrimos com quem fica a herança devemos consultar a ordem de vocação hereditária, que fica no art. 1.829 do Código Civil, que assim dispõe:
"Art. 1.829. A sucessão legítima defere-se na ordem seguinte: I - ao…

União Estável: há direito a herança?

Olá, depois de muitas solicitações resolvi escrever sobre o direito sucessório dos companheiros.  

    Primeiro é importante definirmos quem é o companheiro. O companheiro, ou a companheira, é o que vive em união estável, ou seja, são aqueles que, mesmo sem nenhum impedimento para o casamento, resolveram não se casar, só viver juntos.

Veja essa explicação em vídeo do nosso canal no Youtube:

Aproveite que você já está aqui e por favor clique em gostei e inscreva-se no canal do youtube. Agora seguem as explicações.

       Pois é, a maior parte das pessoas que vivem assim diz que é pela praticidade de ficar juntos e separar-se, mas essa praticidade muda muito quando um deles morre.

    Na realidade nosso atual Código Civil foi muito infeliz ao tratar da herança dos companheiros, primeiro que ele sequer tratou desse tema no lugar correto, que seria o da ordem de vocação hereditária, mas sim nas disposições gerais, pode isso?



     Segundo porque resolveu regular toda essa sucessão em um único…

PRAZO PARA ANULAR A PARTILHA

Muitas pessoas perguntam qual o prazo para anular a partilha feita no inventário.
A resposta é simples, está no art. 2.027, parágrafo único, do Código Civil, vejamos:
CAPÍTULO VII
Da Anulação da Partilha
Art. 2.027. A partilha, uma vez feita e julgada, só é anulável pelos vícios e defeitos que invalidam, em geral, os negócios jurídicos. Parágrafo único. Extingue-se em um ano o direito de anular a partilha.
Logo, o direito de ver a partilha anulada decai em um ano, ou seja, a pessoa perde por completo tal direito no prazo de um ano após homologada a partilha.


E quais são os motivos que podem levar à anulação da partilha? Esta resposta também está no Código Civil, no art. 178, o qual prevê o seguinte:
Art. 178. É de quatro anos o prazo de decadência para pleitear-se a anulação do negócio jurídico, contado: I - no caso de coação, do dia em que ela cessar; II - no de erro, dolo, fraude contra credores, estado de perigo ou lesão, do dia em que se realizou o negócio jurídico; III - no de atos de inca…